terça-feira, 7 de junho de 2011

PORQUE AS PESSOAS NOS DECEPCIONAM ?

Olha, eu não esperava que ela fizesse isto. Que decepção! Quantos de nós, já passamos por esta situação de nos decepcionarmos com algum amigo, namorada, noivo, esposa e vice-versa. Não existe no mundo, pessoa que algum dia não tenha se decepcionado com alguém que ela achava que nunca iria fazer tal coisa. Porque isto acontece? É possível viver sem se decepcionar com alguém? Para a primeira pergunta temos algumas respostas e não todas. Muitas vezes começamos uma amizade com pessoas erradas, com pontos de vistas diferentes, pensando que ela mudaria com o tempo e se adequaria ao nosso. Por conta disto, investimos tempo, energias e dinheiro no afã de conquistar o carinho, a  amizade, o afeto ou mesmo o amor de alguém. Outras vezes a pessoa não é a errada mas criamos expectativas irreais, infundadas, distorcida da realidade. Não há nenhuma base sólida para qualquer relacionamento seja de amizade ou outro qualquer, mas mesmo assim o nosso coração, que é traiçoeiro insiste em algo que não é concreto e até impossível. A amizade, como também todo o relacionamento entre pessoas é uma via de mão dupla e não pode fluir só num sentido. Tem de haver reciprocidade, intercâmbio e trocas de gestos e demonstrações de gentilezas e carinho. Não há, verdadeiramente uma  amizade quando uma parte é ativa, dá tudo de si e a outra fica totalmente passiva, não fazendo nada. Apenas um contribui para a continuação e fortalecimento da amizade, através de vários esforços para aumentar os laços, enquanto a outra fica totalmente estática, como se fosse um poste. Ou seja, um entra com 99,99 % das coisas boas de um relacionamento e o outro com menos de 0,0l. O que irá acontecer com o passar do tempo?  Aquele que investe tanto para a permanência de uma amizade assim, irá se cansar de tanto regar uma planta artificial sem ver o mínimo resultado de seu trabalho. Depois de muito tempo, não vendo brotar nenhum raminho, ele se dá por vencido. Um outro motivo de nos decepcionarmos com alguém é que algumas pessoas são ingratas. Não reconhecem qualquer esforço ou bem que se faça a seu favor ou os benefícios recebidos. Acham que, o que se lhe dá é o que ela merece. Não vêem e nem são gratas pelo que recebem pois se auto valorizam, minimizando as coisas recebidas, como se fossem coisas banais, simples,corriqueiras e de pouco ou nenhum valor. Só irão perceber o quanto receberam, sem serem gratas ou darem o mínimo valor, quando já for tarde, depois de apanharem muito da vida, irão ver, que possuíam tudo, eram felizes e não sabiam. O gozado neste caso, é que tais pessoas, ao verem cessar as benesses de que eram alvo, se acham no direito de se dizerem decepcionadas com os que deram tudo de si, aqueles que contribuíam para a continuação da amizade. Para elas é uma decepção, que alguém que ela achava ter sobre controle, que lhes fornecia tudo, amizade, carinho e apreço, de uma hora para outra, dê um basta, deixando-a no ar. A sua grande decepção, está no fato de que ela,  jamais imaginaria que aconteceria algo que estancaria tal amizade, namoro e até casamentos. Elas se esquecem, que aquilo que não é cultivado, regado e bem tratado, um dia morre. Quanto a segunda pergunta feita: É possível viver sem os decepcionarmos com alguém?  A resposta é, NÃO. Sempre haverá pessoas que irão nos decepcionar. Sejam amigos, namoradas, noivas, esposas, patrões, chefes, sócios, empregados. O que podemos fazer para certos casos, são algumas atitudes e comportamentos, que poderão minimizar os danos. Primeiro, não criarmos expectativas  demais ou irreais dos outros. Não investirmos em amizades em que não há reciprocidade. É bom sempre lembrarmos que ninguém é insubstituível, sempre haverá outra pessoa para o lugar vago. Os cemitérios estão lotados de pessoas que eram insubstituíveis. Num relacionamento podemos e devemos ser bons, mas nunca ao ponto de sermos bobos. Não termos excesso de confiança em alguém, como se ela nunca pudesse cometer um ato de infidelidade. Não criarmos fantasias ou devaneios, coisas ilusórias com relação a outra pessoa, a nossa relação deve alicerçada em algo tangível, com uma base real, bem apoiada, mesmo que seja em menor grau que o que desejamos. Também, não devemos ser os únicos investir na permanência ou continuação da amizade; depois de pouco tempo se não vermos nenhuma reação ou resposta da outra parte, tirarmos o nosso time de campo e partirmos para outra. Não adianta insistir, pois o tempo não vai  melhora-la, dá apenas uma falsa aparência de solidez, pelo lapso de duração, mas isto não é algo concreto. A insistência em tal amizade assim, é perda de tempo, de energias e outros investimentos, pois será como construir um belo castelo de areias, não resistirá as provas que certamente existirão e ruirá fragorosamente causando muitas dores e decepções naqueles que acreditavam ter uma relação sólida. Devemos nos lembrar também, que nós mesmos as vezes, por atos errados e até involuntários, somos uma grande decepção para outras pessoas. Por isto, não fique tão intrigado como se fosse uma aberração ou o fim do mundo, nos decepcionarmos com alguém. Mas esteja certo de uma coisa: Por mais que nos esforcemos e tomemos todas as precauções, nada impedirá que não nos decepcionemos com alguém!        

Um comentário: