sábado, 30 de janeiro de 2016

QUANDO EU VOLTAR A SER JOVEM



A juventude é a melhor época na vida de qualquer ser humano. É a ocasião em que estamos no apogeu de nossa capacidade, tanto física como mental. Na juventude não há lugar para medos, apreensões, preocupações e incertezas quanto ao futuro. Tudo é divertido, alegre e motivo de comemorações. Não há obstáculo ou desafio que não possa ser enfrentado e a maioria das vezes vencido, quando se é jovem. A vida tem um colorido todo especial e é uma verdadeira festa. Tudo são flores e poucos são os jovens que enfrentam alguns espinhos. Infelizmente este período tão esplêndido tem uma curta duração de tempo, na maioria das pessoas não chega a alcançar uns dez anos. Logo vem os anos de compromissos sérios, trabalhos enfadonhos, decepções, frustrações, tédios e a vida se torna cinzenta, sem grandes perspectivas. Depois vem os anos sombrios, calamitosos, onde o medo quanto ao futuro, impede qualquer ação para uma mudança drástica. O novo quase sempre é rejeitado de plano, pois nos apavora e não queremos trocar hábitos arraigados há muito tempo. Daqui pra frente, os anos passam a galope, na verdade à jato e quando se vê já estamos perto do fim do resto de nossas vidas. Se isto fosse ocorrer indefinidamente, a vida não teria sentido, ou seja vivermos tão pouco e quando estivéssemos alcançando as coisas sonhadas, viesse uma doença grave e por fim à morte. Ainda bem, que a vida tem um objetivo e poderemos vivê-la plenamente, não quando morrermos e irmos para o céu, como a maioria pensa, mas aqui mesmo neste lindo e maravilhoso planeta, quando ele for restaurado. O propósito do Criador é que nós humanos pudéssemos viver uma vida plena, em abundância ou eterna, aqui na Terra, que é o nosso lar. Como Ele não desistiu de seu propósito original e tem a capacidade de reverter todo este quadro ruim que vivemos hoje, através do estabelecimento do seu Reino, aquele que nós pedimos na oração modelo, ou do Pai Nosso, então em breve poderemos viver em condições que coisas más, como doenças, os problemas da velhices e morte serão coisas do passado. Do ponto de vista humano isto é uma coisa impossível de acontecer mas para Aquele que nos criou, nenhuma declaração será uma impossibilidade. Como isto está mais próximo do que imaginamos, a maioria das pessoas que alcançarão as bençãos do Reino, mesmo estando já velhas hoje, não passarão pelo dissabor da morte. No Novo Mundo de Deus, aqueles que estiverem velhos, poderão gradativamente ver seus corpos voltarem aos dias do seu vigor juvenil e assim permanecerem para sempre neste estágio. Sim, é muito gratificante saber deste objetivo, que dentro em breve veremos nossa carne, tornar-se mais fresca do que na infância, conforme se vê no Livro de Jó Capítulo 33, versículo 35. Deste modo, eu espero confiantemente e com uma certeza absoluta de que daqui não muito tempo à frente eu volte a ser jovem e possa usufruir à vida sem nenhum dos medos e apreensões que hoje acompanha, quando se tem um certo número de idade.      

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

OS DOIS GRANDES MALES DA VELHICE: PARKINSON E ALZHEIMER.






É muito triste ver uma pessoa como foi Cassius Clay, ou Muhmadd Ali, o maior lutador de boxe de todos os tempos, com as suas mãos e braços tremendo todo o tempo, não tendo nenhum controle, até mesmo para segurar coisas pequenas. Desde o final da década de oitenta, ele sofre do mal de Parkinson, uma doença degenerativa e progressiva do sistema nervoso central, que apesar dos tratamentos existentes só minimizam os seus efeitos e tende a piorar com o avanço da idade. Pode ser que a doença de Muhammad Ali, tenha a ver com os inúmeros golpes que levou em sua cabeça, nas suas quase cem lutas de boxe que teve, enfrentando os mais fortes pesos pesados da história do pugilismo mundial. Sim, isto pode ter afetado o seu cérebro na parte que cuida do seu sistema nervoso central, causando abalo no mesmo. Seja o que for que tenha causado tal mal a Muhmmad Ali, o certo é que tal doença degenerativa atinja uma parte das pessoas idosas que passam a ter uma postura rígida e tremores em seus membros e até da cabeça. O mal de Parkinson limita bastante a vida pessoa, havendo na parte final da doença a necessidade de que outra pessoa cuide até das coisas mais simples dela, como levar comida até sua boca, pois ela não tem mais o controle psíquico motor de o fazer isto sozinha. Outro dos males da velhice é o mal de Alzheimer, uma forma de demência, que começa com a perda de memória de curto prazo, ou de coisas que aconteceram recentemente e vão até a perda de longo prazo, onde o doente não se lembra de mais nada. É também uma doença do cérebro, neuro degenerativa e progressiva, não havendo atualmente cura para a mesma. Uma vez diagnosticada a doença, a sobrevida do paciente é de cerca de sete anos. Vários filmes de sucesso, tem mostrado de que forma a doença, afeta a memória das pessoas, entre estes podemos citar, "Diário de uma Paixão" e "Como se fosse a Primeira Vez" em que as personagens femininas, tinham que ser lembradas todo dia, pelos seus maridos, quem eram. Sim, as mulheres são mais afetadas pelo mal de Alzheimer do que os homens. Mas tem um artista masculino, que está padecendo do mal de Alzheimer desde 2011, é o famoso cantor e guitarrista americano, Glen Campbell. Ele foi o maior interprete das músicas de um dos maiores compositores americanos de todos os tempos, o grande Jimmy Webb, aquele do clássico "Mac Arthur Park". Campbell, ganhou inúmeros prêmios, como apresentador, musicista e cantor, inclusive um Grammy. Apesar da sua enfermidade ter evoluído bastante nos últimos anos, até algum tempo atrás, ele fazia shows mas a platéia era informada das suas limitações e de que poderia esquecer-se das letras e até mesmo do que estaria fazendo no palco, no momento da apresentação. Mesmo assim, houve um grande prestígio do seu público, sabendo que seria umas das últimas vezes que o ouviriam se apresentar e o esforço para tentar se lembrar das músicas, que o fizeram famoso, tais como "Wichita Lineman", "By The Time I Got Phoenix" e o incrível solo de guitarra em "Classical Gas" de Mason Williams. Pesquisadores tem descoberto alguns fatores que podem contribuir para a instalação de tal doença na pessoa tais como: genética, exposição a agrotóxicos, alimentação deficiente e outros fatores, podem contribuir para a pessoa sofrer tal mal. Uma vida saudável, com uma alimentação tipo a dieta do mediterrâneo, exercitar bem o cérebro, aprender uma nova língua, fazer palavras cruzadas, o uso de vinho tinto, ajudam a evitar que surja tal doença na velhice. Podemos citar pessoas que faleceram recentemente mais que estiveram sempre ativas, exercitando seu cérebro, tais como o advogado e cronista Barbosa Sobrinho e o arquiteto Oscar Niemeyer, que chegaram a viver 103 e 104 anos respectivamente e trabalharam até perto do dia de sua morte. Assim, como fazer exercícios físicos ajudam os músculos do corpo, exercícios mentais ajudam ao cérebro a não deixar seus neurônios morrerem. Portanto, procure exercitar sua cabeça, leia ou escreva bastante, quebre a cabeça tentando resolver problemas intrincados e de difícil solução, pois quanto mais fizer isto para mais longe fica o mal de Alzheimer. Assim, se quisermos alcançar a velhice sem sofrermos o padecimento destes dois males, cuidemos bem da nossa cabeça, ponhamos a massa cinzenta para funcionar, porque o que não se exercita se atrofia.

Obs: Na foto acima, Glen Campbell na sua última tournée em 2012, aos 76 anos de idade.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

O DILÚVIO GLOBAL: LENDA OU UM FATO REAL?


Ano passado e no início deste, esteve em cartaz um filme sobre a vida de Noé e o dilúvio retratado na Bíblia. Logicamente de um filme hollywoodiano não se poderia esperar outra coisa senão, fatos totalmente diferentes do relato bíblico, tais como pertubações mentais de Noé ou Noah, com as suas visões noturnas para a construção da arca, ter ele uma filha adotiva, criaturas angélicas do bem, como se fossem guardiões, um Deus totalmente mau, sem misericórdia, dissociado da personalidade do Verdadeiro Deus e outras aberrações. Já vai longe o tempo, sessenta anos, em que um Cecil B.DeMille filmou o épico "Os Dez Mandamentos", um relato bem fiel ao relatado na Bíblia e que de fato aconteceu com o povo judeu quando esteve cativo no Egito e seu livramento, quando o Verdadeiro Deus usou o Profeta Moisés para o fazê-lo. O único senão do diretor DeMille, fica por conta de que em tal película, ele livra Faraó da morte quando o Mar Vermelho se fecha sobre todos os soldados egípcios, inclusive sobre o Faraó como relata a Bíblia. Já este filme recente sobre a saga de Noé, não o  vi,  por que ao ver a sinopse e as críticas do filme,  percebi que se tratava muito mais de uma heresia do que um relato bíblico. Muitos hoje, acreditam mesmo que tal relato de um dilúvio global que varreu todos os habitantes e animais da terra, com exceções das oito pessoas e os animais que foram levados para dentro da arca, não passa de uma lenda ou um grande mito, que não deve ser levado a sério, como um fato real. Mesmo pessoas que se dizem cristãs e portanto acreditam em Jesus, tem dúvidas ou não acreditam neste relato bíblico. No Livro de Lucas no Capitulo 17, versículos 26 e 27, Jesus fala sobre o que ocorreu nos dias de Noé, demonstrando assim, que para Jesus era um fato verdadeiro e não uma lenda. Alguns outros dizem que o dilúvio de que fala a Bíblia foi apenas uma grande inundação que ocorreu numa região onde moravam as pessoas e não em todo o globo, como assevera a Bíblia. Se isto fosse verdade, bastava o Verdadeiro Deus, mandar que Noé ao invés de construir uma enorme arca, para abrigar tantos seres animais, construísse um grande barco e viajasse para outro local, onde teria outros animais lá. Um fato é certo, a história de um grande dilúvio que inundou toda a terra, está relatada não só na Bíblia como em todas as histórias antigas de povos que viviam em locais e continentes bem distantes do local onde vivia Noé e sua família. Nos relatos do Maias, dos Assírios, dos sumérios de Gilgamesh, na história Greco-Romana, dos povos indígenas americanos, todos tem uma história parecida de uma grande inundação que matou a todos. Assim, podemos dizer com toda certeza que o dilúvio não foi apenas uma inundação local mas global que atingiu todo o planeta. Para causar dilúvio global, que cobrisse toda a terra, teria de haver muita água para isto. No relato de Gênesis, Capitulo 1 versículo 6 e 7, nos fala de que antes de haver o dilúvio o nosso planeta tinha um vasto dossel ou uma vastidão de águas, que ficavam acima da superfície na expansão terrestre, envolvendo todo o globo terrestre, fazendo com que a terra fosse tal como uma grande estufa, em que por conta disto possuía um clima só em todo o planeta. Foi este dossel de água que estava acima da expansão terrestre, que por ocasião do dilúvio, o Verdadeiro Deus, abriu como que as comportas do céu e despejaram as águas durante quarenta dias e quarenta noites sobre todo o nosso planeta, dizimando toda a vida que estava abaixo na terra, logicamente com exceção dos seres marinhos e dos rios que não dependem do ar para sobreviverem. Bom, assim já sabemos de onde vieram as águas que causaram o dilúvio, mas para onde foram elas depois do dilúvio já que não voltaram para a sua situação anterior?  O mesmo Livro de Gênesis, agora no Capitulo 8, logo no início, nos fala que o Verdadeiro Deus soprou um vento, fazendo com que as águas recuassem e passassem a baixar. Hoje, vemos que este grande dossel de águas que cobriu todo o planeta estão congeladas, em gigantescas montanhas de águas potável no Polo Norte e no Polo Sul, conhecidas como as calotas polares . Se o Polo Norte e o Polo Sul, se descongelassem completamente, tais águas cobririam de novo toda a terra, assim como cobriu por ocasião do dilúvio. Em locais tão longínquos, tais como no paralelo 17, perto da Groenlândia, foram encontrados animais congelados de locais antes quentes, que morreram de repente, quando ainda estavam com alimentos em sua boca, mostrando assim que o dilúvio e o posterior congelamento os pegou de surpresa. Assim, podemos concluir que o Dilúvio de que relata a Bíblia é um fato real, tem base científica por ter elementos que o ensejaram, tem apoio da arqueologia e atingiu todo o planeta e não apenas um local onde vivia Noé e sua família. Um fato totalmente distorcido pelo diretor do filme "Noé" é que o dilúvio ocorreu, por causa de anjos terem deixado a sua posição celestial e desceram até a terra e passaram a ter relações com as mulheres, nascendo uma geração hibrida de pessoas gigantes e perversas, os nefilins, que aumentou grandemente a maldade, necessitando que o Verdadeiro Deus, interviesse no assunto para que as coisas não se tornassem incontroláveis, sendo assim seres do mal e não guardiões do bem, como quis fazer crer tal película. Como Jesus previu, hoje está acontecendo as mesmas coisas que ocorreram antes do dilúvio, a maldade está em grau nunca antes ocorrido, o planeta está à beira do colapso total, necessitando com urgência uma intervenção divina. As pessoas estão sendo avisadas com bastante antecedência sobre isto, para que possam sobreviver mas como ocorreu nos dias de Noé, não fazem caso dos avisos, achando que nada irá mudar e que o Verdadeiro Deus não tomará nenhuma providência para cessar em definitivo o mal. Este aviso já vem sendo dado diariamente nos lares das pessoas, há mais de cem anos. Quando isto ocorrer, não poderão dizer que o Verdadeiro Deus é vingativo, não teve paciência, nem foi misericordioso, a culpa é de quem não fez caso.             

segunda-feira, 6 de abril de 2015

DAI A CESAR AS COISAS DE CESAR E A DEUS AS COISAS DE DEUS




Desde os tempos mais remotos da humanidade, os verdadeiros adoradores de Deus, tem se confrontado com uma prova posta pelo Inimigo da Vida, no sentido de obriga-los a darem a "Cesar", ou seja, as autoridades constituídas, coisas que não pertencem a elas mas sim a Deus, que é a sua adoração. Como eles, tem rejeitado categoricamente tal obrigação imposta pelas autoridades, estas os tem levados as barras dos tribunais, sob a alegação de insubordinação e desobediência as leis, encarcerando-os e muitas vezes os condenando até mesmo à morte. Nada disto os tem feito recuar ante a pressão e a perspectiva de uma morte dolorosa. Foi assim, com a a nação de Israel, quando estava cativa ano Egito, foi também assim quando os hebreus, foram de novos levados como escravos dos babilônios. No caso específico dos Babilônios, é conhecido o relato de que Daniel e seus três amigos, que foram instados pelo Rei Nabucodonosor a pararem de orar para Jeová, o Deus da Nação de Israel, sob pena no caso de Daniel  de ser jogado na cova de famintos leões e os outros numa fornalha ardente, super aquecida ao máximo. Eles respeitosamente disseram ao Rei Nabucodonosor que se fosse da vontade do Verdadeiro Deus, Ele os livraria da morte, caso não, preferiam isto a violarem a sua integridade para com seu Deus. Nós sabemos o fim da história, que o Verdadeiro Deus, os livrou da morte, fazendo com que o Rei Nabucodonosor e depois Dario, reconhecessem que Jeová é o Verdadeiro Deus. Jesus Cristo, quando esteve na Terra, disse a frase acima deste link, ao ser confrontado com os fariseus hipócritas que queriam pegar seus discípulos, ao dizerem que eles não eram cumpridores da lei, por não pagarem os impostos cobrados por "Cesar". À partir daí a primitiva congregação cristã, foi por diversas vezes testada neste respeito, de tentarem que ela desse a "Cesar" o que não pertence a "Cesar". Podemos salientar, entre estas, o período logo após a morte de Jesus Cristo. As autoridades deram ordens aos primitivos cristãos de que parassem de pregar em nome de Jesus Cristo, eles desobedecendo tal ordem encheram Jerusalém com tal ensino. Conforme se vê no livro de Atos Capitulo 5 versículos 28. O Apóstolo Pedro, ao ser contestado pelo seu trabalho evangelizador, tomando a dianteira, disse as autoridades e que serve de base como resposta para todos os verdadeiros cristãos: TEMOS DE OBEDECER A DEUS COMO GOVERNANTE EM VEZ DE A HOMENS. Vemos assim, de que a obediência que se presta as autoridades como nos incentivou Paulo a fazer escrevendo aos Romanos no Capítulo 13 é relativa e não absoluta, ou seja, temos de dar as autoridades, o que lhes é de direito: pagar impostos, multas, ter temor, ter respeito e obediência desde que a obediência não entre em conflito com uma norma divina, por que se entrar, aí temos que optar pela norma divina e responder ou agir igual ao Apostolo Pedro, quando disse: Importa mais obedecer a Deus como governante em vez de a homens. Os primitivos cristãos, foram perseguidos brutalmente, porque as autoridades não entendiam como pessoas de uma nação, se negavam a prestar culto reverencial a autoridade daquela nação que era tida como um "deus". Apesar disto, eles não transigiram, preferiam ser lançados nas arenas para serem devorados pelos leões, do que violar uma ordem divina. Na Alemanha de Hitler, de novo os verdadeiros cristãos foram confrontados com as autoridades que queriam que lhes desse prioridade em todos os aspectos e por que não o fizeram, foram jogados em campos de concentração, onde muitos morreram assassinados, outros de fome e alguns outros de severos maus tratos. Também na antiga União Soviética, a maioria dos que objetaram em render louvor ao Estado por serem neutros em política e em sua sua escalada militar, foram enviados para a inóspita e deserta Sibéria. Atualmente, uma grande perseguição está ocorrendo àqueles que obedecem a Deus em primeiro lugar antes que as ordens humanas. Assim, muitos jovens por não quererem pegar em armas, escusando-se do serviço militar obrigatório, estão presos na Coréia do Norte, na Coréia do Sul e em vários outros países. Também por causa da intolerância religiosa, há uma feroz perseguição aos verdadeiros cristãos, onde lugares de adoração são saqueados, bíblias e outras literaturas confiscadas, irmãos e irmãs estão estão sendo levados presos, sem julgamentos, no Azerbaijão, no Quinguistão, na Russia, em Taganrog, no Turcomenistão apenas para citar alguns países que não aceitam que os verdadeiros cristãos possam dar primazia a Deus antes do que aos governos humanos. Do outro lado, os pseudo cristãos, transigem nas normas divinas e fazem todas as coisas que as autoridades lhes pedem, mesmo tendo consciência de que estão infligindo um mandato divino, que é o de amarem e não matarem uns aos outros, mas não estão nem aí, desde que possam viver sossegadamente e mais ainda, muitos auferindo altos salários por se enfileirarem nas forças militares para aprenderem e depois matarem seus semelhantes, nas inúmeras guerras que estão sendo travadas hoje no mundo, guerras na maioria das vezes religiosas, entre pseudo cristãos e outros pseudo cristãos de outro país, entre pseudo cristãos e muçulmanos e também contra os islâmicos, tudo em nome do deus que dizem servir.  

quarta-feira, 25 de março de 2015

A VIDA TEM OBJETIVO OU É APENAS UM ESTADO TEMPORÁRIO, SEM SENTIDO?





Uma das coisas que mais tem intrigado os filósofos em todas as épocas é: A vida humana tem algum objetivo ou propósito? Ou, apenas por algumas décadas existimos e depois encerramos nosso ciclo natural na morte, assim como os demais seres que vivem? A maioria dos filósofos creem na segunda hipótese de que, não há nenhum sentido na vida humana, sendo ela apenas uma mera obra do acaso. Esta grande corrente filosófica tem como pilar ideológico, a não crença em um Ser Superior que nos tenha criado e gerado à vida. Estes, que creem na não existência de Deus, se baseiam no ponto de vista de que, se Ele existisse realmente, não permitiria haver tanta maldade e tantas coisas  ruins acontecendo e ceifando a vida de milhares de seres inocentes, tais como através de sangrentas guerras, fomes, pestilências, penosas doenças, catástrofes e outros males que tem afligido a humanidade no decorrer de séculos. Tudo isto faz com que estas pessoas pensativas, duvidem ou questionem a existência de um Deus Criador. Acham que a vida, como a conhecemos é obra do acaso, da atividade de forças cegas existentes no universo, que depois de passar por várias fases ou ciclos de milhares e milhares de séculos, chegou ao estágio da raça humana com o "homo sapiens". Que à vida à princípio veio dos mares primevos, um caldo biológico e fértil que produziu os primeiros seres unicelulares e que aos poucos foi se multiplicando e aperfeiçoando, até eles virem para a terra seca. Na obra de Charles Darwin, "A Origem das Espécies", ele fala como ponto chave de sua teoria a "seleção natural", qual seja, os seres que conseguiram melhor se adaptarem ao mundo hostil foram selecionados para a vida, enquanto os outros que não conseguiram isto, foram extintos. Um exemplo clássico citado por ele é o das girafas, que tem este pescoço comprido, porque para sobreviver e comer os alimentos, folhas e frutos que estavam em árvores mais altas, ela teve que esticar ao máximo seu pescoço e como isto ocorreu durante muitas gerações, foi havendo as mutações e as girafas ficaram com este pescoço comprido, como a conhecemos hoje. Assim, pela teoria da "seleção natural", membros e órgãos cresceram segundo a necessidade para a sobrevivência da espécie. O "homo erectus" para estes que creem na evolução e na seleção natural, veio de uma certa espécie de macacos, os "hominídeos" que evoluíram, por conta da mesma necessidade de se adaptarem e produziu mais à frente, o que eles chamam também de estágio do "homo sapiens". Vamos questionar esta teoria para ver se ela é plausível, tem lógica e a base do que conhecemos deve ser aceita, como verdade científica. Se nós humanos viéssemos de uma espécie de macaco, os "hominídeos", que conseguiu evoluir passando por várias mutações e necessidades de se adaptarem para sobreviverem, como teríamos evoluído um cérebro tão complexo, que mesmo as mentes mais brilhantes não conseguem utilizar mais do que dez por cento da sua capacidade cerebral? Ou seja, viemos de um ser inferior, os "hominídeos" e conseguimos evoluir para um estágio cerebral milhões de vezes superior a nossa real necessidade, mesmo atual. Se esta teoria fosse correta, deveríamos andar sempre no limite máximo de nossa capacidade cerebral e a cada necessidade, aumentando e não evoluir para um cérebro tão complexo, que não sabemos como utiliza-lo plenamente. Vimos assim, quão falha e sem lógica é tal teoria, que de científica não tem nada, sendo apenas como ela própria diz uma mera "teoria especulativa" e não um fato concreto e incontroverso. Além disto, a maioria dos seus apoiadores, por não verem objetivos e propósitos em suas vidas, nem contas a prestarem, acabam se suicidando. Esta tem sido a tônica dos que acham que a vida não tem objetivo. Enquanto, que a primeira corrente dos que acham que vida tem objetivo e significado, por crerem não em mera teoria mas em fatos concretos, qual seja, de que toda a vida procede de uma vida anterior, havendo a necessidade de um Ser ou Causa Primária que a causou e não o mero acaso de forças cegas, que se movimentaram por milhões ou bilhões de anos, como querem nos fazer crer os evolucionistas. Eles se esquecem que o tempo, nunca foi construidor de nada, muito pelo contrário ele é destruidor. O que vemos nas coisas criadas é de que existe um Ser Criador de uma Infinita Sabedoria, como atestam vários grandes filósofos e cientistas do porte de um Sir Isaac Newton,  não com base numa fé cega, mas por observar atentamente o desígnio e engenhosidade das coisas maravilhosamente criadas, de que por trás delas tem de haver um Ser Criador muito sábio e que tem um propósito. Não é por que a maioria das religiões não souberam explicar corretamente, o por que da existência da maldade, das doenças e da própria morte, que o Verdadeiro Deus não existe e nada fará. Ele está muito atento e já tomou as providências, há bastante tempo para que estas coisas ruins, tenham um fim e a raça humana possa viver num futuro logo à frente, sem nenhuma destas coisas más, como foi  intenção Dele desde o princípio. Por conta do erro dos nossos primeiros pais, Ele está dando um tempo para ficar demonstrado de maneira cabal, que nós humanos não conseguimos viver à parte de suas orientações e também para que os que ainda não tomaram a sua posição a seu lado, possam o fazê-lo, para que aí sim, a vida seja realmente plena, feliz e com significado, aqui mesmo na Terra, onde poderemos utilizar toda a nossa capacidade cerebral para o bem e não os ínfimos dez por cento que utilizamos hoje.             

terça-feira, 17 de março de 2015

O QUE EU OUVI, LI E VI NESTAS ÚLTIMAS DÉCADAS







Antigamente as notícias só chegavam em nossas casas através do rádio, em especial com "O Repórter Esso" na voz de Heron Domingues ou lendo os jornais da época, O Correio da Manhã, O Jornal do Brasil, Última Hora, A Tribuna da Imprensa e outros que surgiram mais tarde como o sarcástico O Pasquim. Também havia as revistas que nos informavam algumas coisas: "O Cruzeiro", "Manchete", "Mundo Ilustrado" "Fatos & Fotos", "Realidade" e a "Seleções de Reader`s Digest", que continua até os dias de hoje, da mesma forma como alguns jornais citados. Assim, foi através das rádios AM, que fiquei sabendo do aparecimento do rock and roll e de seu rei, Elvis Presley, da morte de James Dean pilotando a sua Porsche prateada, do lançamento do primeiro satélite a entrar em órbita na Terra, o Sputinik russo. Do primeiro homem no espaço sideral, o cosmonauta russo Yuri Gagarin, que viu que a Terra era azul. Da revolução cubana vinda de Sierra Maestra, que pôs fim ao ditador Fulgêncio Batista e introduziu na América Central um regime comunista, sob a liderança de Fidel Castro e do Comandante "Che" Guevara. Havia também o cine-jornal semanal do Canal 100, que passava nos cinemas e antecedia os filmes, mas este tinha mais a ver com os eventos esportivos e alguns desfiles de misses. Com a chegada da televisão, que ainda não era global e em preto branco, começamos a ver os acontecimentos. As mortes John Kennedy, de Lee Oswald, de Martin Luther King, de Robert Kennedy. A marcha de mais de um milhão de pessoas nos Estados Unidos, contra a guerra do Vietnam e também contra o preconceito racial. O aparecimento de personagens polêmicas e radicais tais como, Malcolm X e Patrice Lumumba. Da Inglaterra vitoriana, chegaram aqueles que revolucionaram o cenário musical: os Beatles e os Rolling Stones que persiste com a sua rebeldia até os dias de hoje, passados já cinquenta e três anos, tocando e fazendo shows. Os distúrbios estudantis em maio de 1968 na França, que teve o apoio de figuras de destaque, como Jean-Paul Sartre e Jean-Luc Godard, acendeou um rastilho que veio até o nosso país, com as marchas de milhares de pessoas após à morte de um estudante no calabouço, desembocando no Ato Institucional de nº 5 e os terríveis anos de chumbo que se seguiram. Nos Estados Unidos, surgiram cantores de protestos, tais como Bob Dylan e Joan Baez, que combatiam com suas músicas, o modo de vida americano e em especial a repudiada guerra do Vietnam. Da morte de "Che" Guevara na selva boliviana. Um outro fato notável que pude assistir, ficando acordado até bem tarde da madrugada com os olhos grudados na tv, foi ver Neil Armstrong, descer a escada do módulo e pisar pela primeira vez no solo da lua, isto lá em 1969. Por conta de alguns jornalistas, no caso Watergate, o Presidente Nixon teve de renunciar, antes disto no nosso país, Jânio Quadros já havia renunciado o que resultou na subida ao poder do vice, João Goulart que foi derrubado por um golpe militar que perdurou por vinte anos. Nos Estados Unidos, surgiu o movimento hippy que pregava paz e amor e que teve seu ponto alto no festival de Woodstock, símbolo da contracultura e do estilo de vida americano. Este sonho foi atropelado e acabou quando Charles Manson e alguns membros da "Família Manson", assassinaram seis pessoas, entre elas, a atriz Sharon Tate grávida de oito meses do diretor Roman Polanski. Não podemos esquecer de Andy Warhol, Basquiat e outros que com sua vanguarda mudaram o rumo, do que se conhecia como arte, para a pop art, ou arte popular. No cenário americano um outro personagem que ficou notável nestas décadas foi Cassius Clay, mais conhecido agora como Muhmmad Ali, o maior pugilista de todos os tempos, que perdeu o título por que não quis ir lutar no Vietnam, tendo o recuperado depois. Nós também tivemos um grande pugilista, mas numa categoria menor, peso galo, o Eder Jofre, o nosso Galo de Ouro. Outro que também trocou o seu nome de origem americana para um islâmico, foi o famoso cantor Cat Stevens, que se tornou Yusuf. Islam. No Brasil, surgiu o movimento da bossa nova, com músicos e cantores do calibre de um João Gilberto, Tom Jobim, João Donato e outros, que após um concerto no Carnegie Hall, influenciaram até mesmo o jazz americano, sendo gravada pelos maiores artistas daquele país. De uma praia que se tornou mais famosa por conta de uma canção e das latas de maconha que vieram dar na praia, despejada por um cargueiro que quis se livrar da prova do crime. A bossa nova foi sucedida pelo Tropicalismo de Gilberto Gil e Caetano Veloso. Vi a União Soviética esfacelar-se em vários países menores e a derrubada do muro que separava as duas Alemanhas. Na música mundial surgiu um cantor americano, que se tornou o maior fenômeno da pop music, Michael Jackson. No nosso esporte mais popular, o futebol, apareceu o desportista do século, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, que em três copas consagrou o nosso país ao lado de gênios, tais como Garrincha e Didi. Infelizmente os bons tempos neste campo acabaram-se e hoje amargamos uma derrota vergonhosa na última copa e em casa, e o que se ouve nas rádios e se vê nas televisões nos horários nobres é o péssimo som dos funks e das músicas sertanejas. Sim, estas últimas décadas foi de uma efervescência nunca antes compartilhada e eu posso dizer: que: OUVI,  LI  E VI, tudo isto acontecer.
Obs: Na foto acima: Garrincha, Didi, Pelé, Vavá e Zagalo!

sábado, 14 de março de 2015

ENVELHECER SIM, FICAR VELHO NUNCA






As portas de completar sete décadas de vida, tenho procurado nestes últimos dias, repensar o que isto significa para mim. Sim, porque quando eu era garoto, nunca imaginei que viveria além dos cinquenta anos de idade. Assim, estes anos posteriores que ultrapassaram a minha expectativa de vida, tem sido como um bônus que me foram dados graciosamente. Voltando ao passado, me lembro que ao chegar perto dos trinta anos, adquiri  um novo conhecimento sobre a vida e o quanto ela poderia ter de duração. Assim como milhares de outras pessoas em todo o mundo, compreendi que poderia ter uma vida eterna plena, não por conta do estilo de vida, tais como:  alimentação saudável, exercícios físicos regulares, evitar certas práticas nocivas, ou avanços científicos na área médica mas por adequar minha vida as  normas estabelecidas pelo Originador dela em sua Palavra, as Escrituras Sagradas. Sim, o propósito original do nosso Criador é  que nós pudéssemos viver para sempre aqui na terra. Como o que Ele intenciona nada há que possa frustar o seu propósito, em breve Ele tomará medidas para que isto ocorra e possamos desfrutar a vida não apenas por setenta ou oitenta anos que é o tempo médio de vida hoje mas para todo o sempre, como foi o seu propósito desde o início. Enquanto isto não chegue, sei que posso à qualquer momento morrer de um infarto fulminante, de um AVC, de um câncer ou qualquer outra doença letal. Além é claro das mortes que acontecem à todos, independente de idade, tais como num acidente, uma bala perdida e outras tantas que tem ceifado a vida de milhares de pessoas. Mas isto, não roubará de mim, a minha expectativa que tenho tido nestes últimos quarenta anos, que é o de viver para sempre, aqui mesmo neste planeta terra, pois se o Criador me achar digno disto, haverá o dia em que Ele se lembrará dos meus atos, não só dos meus mas de todos os que estiverem na ocasião nos túmulos, dormindo na morte, para ressurgirmos para à vida, num planeta restaurado, onde a doença e a  morte não vão mais existir,  nem mesmo os males que a velhice tem afligido a alguns, pois todos os que forem contados como aprovados, alcançarão a perfeição, sendo rejuvenescidos aos poucos por aplicarem à cada dia  os novos ensinos  para um correto modus vivendi, até ficarem neste estado, de jovens, mesmo após  passarem-se milhares e milhares de anos de vida. Desta forma, o que eu vivi até hoje é  nada  em comparação ao que  almejo alcançar em  termos de duração de vida, que é eterna, de fato a VERDADEIRA VIDA, a que não terá fim. Por isto já à partir de agora, apesar de ter plena consciência de que estou envelhecendo e do ponto de vista do atual sistema, pouco me restaria de tempo de vida,  procuro me imaginar num mundo em que haverá longuras de dias e juventude eterna, por isto recuso-me a ser velho, o que significa ser uma pessoa ultrapassada, que não aceita as coisas novas, que não está disposta a fazer mudanças, sem imaginação ou criatividade, uma pessoa triste que só vive se lamentando e falando de doenças, que perdeu toda a alegria de viver, um verdadeiro morto vivo com medo do que o futuro lhe possa trazer. Ainda não é este o meu caso, pois apesar da idade não perdi o otimismo e o bom humor, estou contente com as boas dádivas recebidas, entre elas, por ter ainda boa saúde, filhos e netos maravilhosos, bons amigos e poder apreciar as boas coisas que a vida ainda tem a oferecer. Olho para o futuro com plena confiança, ante uma perspectiva brilhante que se apresenta. Assim, do meu ponto de vista, estou apenas temporariamente envelhecido, um pouco gasto é claro mas é coisa passageira, isto logo, logo, vai ser revertido. Isto porque, como este tempo de mudança está prestes a ocorrer, pode até ser que eu ainda esteja entre os vivos e neste caso poderei escapar do grande mal que aflige a toda a humanidade que é passar, pela morte sem conhecê-la.